Posts Tagged ‘Mata Ciliar’

Iniciativa Verde busca adesões no Paraná

A ONG Iniciativa Verde dará início na próxima segunda-feira (29) a uma nova etapa do trabalho de restauro florestal realizado na bacia hidrográfica do Rio Piquiri com apoio e financiamento do Programa Iniciativa BNDES Mata Atlântica. A visita, que contará com a presença de Roberto Resende, presidente da organização e do diretor florestal da ONG, Pedro Barral de Sá, terá o objetivo de obter novas adesões de produtores para a cessão de áreas destinadas ao plantio de mudas nativas da Mata Atlântica. O projeto conseguiu o apoio de prefeituras da região, destaque para as de Formosa do Oeste e Nova Aurora.

A ONG especializada em recuperação florestal tem uma atuação destacada no Paraná desde 2009. Neste atual projeto, a Iniciativa Verde tem o apoio e financiamento para restaurar ao menos 100 hectares de florestas ainda em 2013. O projeto da Iniciativa Verde está sendo realizado em parceria com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), por meio do Escritório Regional de Toledo, para a recomposição das matas ciliares da bacia do Rio Piquiri.

O trabalho está concentrado na chamada Frente Corredor do Piquiri  em trecho que abrange os municípios de Palotina, Formosa do Oeste, Nova Aurora e Assis Châteaubriant.  Os Corredores Ecológicos do Paraná contemplam uma faixa de cinco quilômetros às margens dos grandes rios do estado. Esses corredores têm o objetivo de ligar os grandes fragmentos remanescentes de vegetação nativa da Mata Atlântica do estado.

O projeto foi desenhado para incluir a agricultura familiar e remunerar o próprio agricultor pela mão de obra de preparo da terra, plantio de mudas e manutenção do reflorestamento na bacia do Piquiri. Apenas o cercamento será terceirizado quando houver necessidade. As mudas serão doadas pelo IAP e a Iniciativa Verde fornecerá suporte técnico e os demais insumos, além de remunerar os serviços para plantio e parte da manutenção. Os próprios agricultores serão contratados, sempre que possível, de modo a receber diretamente pelos serviços. O recurso inclui os serviços de cercamento, os insumos que forem necessários  (diesel, iscas, formicidas, entre outros) e uma ajuda de custo a ser paga diretamente ao agricultor.

Anúncios

Projeto Iniciativa BNDES Mata Atlântica recebe apoio no Paraná

Exemplo de área ciliar a ser recuperada nas margens do Rio Piquiri, no Paraná

Exemplo de área ciliar a ser recuperada nas margens do Rio Piquiri, no Paraná

A intensa jornada de encontros, reuniões e entrevistas empreendida pela equipe da Iniciativa Verde no fim de fevereiro resultou em importantes apoios ao projeto financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Neste atual projeto, objetivo é restaurar ao menos 100 hectares de matas ciliares, ainda em 2013.

A equipe coordenada por Renato Miazaki de Toledo, técnico da Iniciativa Verde, esteve em municípios que integram a bacia hidrográfica do Rio Piquiri como Formosa do Oeste, Nova Aurora e Assis ChateaubriandNestas cidades foram realizadas reuniões com o poder público visando esclarecer os principais pontos e os benefícios aos agricultores que decidirem aderir voluntariamente ao projeto Iniciativa BNDES Mata Atlântica.

O trabalho está concentrado na chamada Frente Corredor do Piquiri, trecho que abrange os municípios de Palotina, Formosa do Oeste, Nova Aurora e Assis Châteaubriant.  Os Corredores Ecológicos do Paraná contemplam uma faixa de cinco quilômetros às margens dos grandes rios do estado. Esses corredores têm o objetivo de ligar os fragmentos remanescentes de vegetação nativa da Mata Atlântica.

O prefeito de Formosa do Oeste, José Roberto Coco, reuniu membros de sua equipe para conhecer e discutir o projeto. Ele gostou dos principais objetivos e prometeu colocar a prefeitura e sua equipe à disposição para o contato com os agricultores. Segundo o prefeito, “a importância da mata ciliar é algo que não se discute mais”.

Já na cidade de Nova Aurora, o vice-prefeito José Berta classificou o trabalho de preservação dos rios da região como algo de grande importância e também colocou sua equipe para dar apoio ao projeto. O secretário de Agricultura de Assis Chateaubriand, Mauro Guerra, ficou impressionado com o projeto e irá informar os produtores do município sobre as vantagens de ceder as margens de rios em suas propriedades para serem recuperadas e preservadas.

Segundo Renato Miazaki, as visitas tiveram êxito, “acredito que o projeto alcance um novo patamar com os importantes apoios recebidos”, mas ainda há um bom caminho a ser percorrido. “Temos agora que redobrar os contatos com os produtores para contemplar esses esforços com novas áreas cedidas para restauro”, afirmou Renato.

A OSCIP especializada em reflorestamento tem uma atuação destacada no Paraná desde 2009. O trabalho da Iniciativa Verde para a recomposição das matas ciliares da bacia do Rio Piquiri é realizado em parceria com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) por meio do Escritório Regional de Toledo. A atual visita tem o objetivo de acelerar o processo garantindo novas adesões e o cumprimento das metas previstas no contrato com o BNDES.

Sobre o projeto

Ele foi desenhado para incluir a agricultura familiar e remunerar o próprio agricultor pela mão de obra de preparo da terra, plantio de mudas e manutenção do reflorestamento na bacia do Piquiri. Apenas o cercamento será terceirizado quando houver necessidade.

As mudas serão doadas pelo IAP e a Iniciativa Verde fornecerá suporte técnico e os demais insumos, além de remunerar os serviços para plantio e parte da manutenção. Os próprios agricultores serão contratados, sempre que possível, de modo a receber diretamente pelos serviços. O recurso inclui os serviços de cercamento, os insumos que forem necessários  (diesel, iscas, formicidas, entre outros) e uma ajuda de custo a ser paga diretamente ao agricultor. Saiba mais neste link.

Quilombo de Pedro Cubas faz mutirão comunitário para plantio de mata ciliar – Acervo: 17/12/2008

Publicado originalmente em Cílios do Ribeira

A atividade aconteceu na comunidade de Pedro Cubas, no Vale do Ribeira (SP), e é parte do Projeto Rio Pedro Cubas. Representantes da Iniciativa Verde, do Itesp, do Instituto Vidágua, da Unesp, do ISA, e comunidade quilombola de Nhunguara, parceiros no projeto, participaram do plantio, que vem reforçar a Campanha Cílios do Ribeira, pela recuperação das matas ciliares do Vale do Ribeira.

Em forma de mutirão, cerca de 80 crianças e adultos do quilombo de Pedro Cubas, no município de Eldorado, no Vale do Ribeira (SP), plantaram, no último dia 8 de novembro, aproximadamente 200 mudas de espécies nativas para recuperar áreas degradadas por terceiros no Rio Pedro Cubas, doadas pelo Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp).

Representantes da comunidade prepararam as covas para o plantio com composto orgânico, que está seguindo as determinações de escolha de espécies feita pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo e conta com a assessoria da Unesp para a seleção das mais adequadas ao local.

O engenheiro florestal Marcos Diniz, do Instituto Vidágua, também técnico da Campanha Cílios do Ribeira, abriu a atividade com uma palestra voltada para a educação ambiental das crianças enfatizando a importância de recuperar a mata ciliar e os cuidados que se deve ter com a muda no processo de plantio.

O coordenador da Associação de Pedro Cubas, Sr. Antonio Jorge, deu as boas vindas a todos e contou às crianças que no passado ele havia contribuído para destruir a natureza local além de coletar palmito, mas hoje, ele se orgulha de pensar de outra forma o desenvolvimento da comunidade e estava muito feliz por ver a participação dos jovens, que representam o futuro do quilombo.

A coordenadora de projetos do Programa Vale do Ribeira, do ISA, Raquel Pasinato, também ressaltou o passo importante que o projeto está dando, envolvendo as crianças quilombolas por meio da recuperação da mata ciliar e preparando-as para que cuidem de seus territórios, promovendo condições de vida com qualidade e água boa para beber e terra para plantar.

Alternativas diferenciadas para reverter a degradação

Lançado em abril deste ano no quilombo de Pedro Cubas o projeto é parte do Programa de Revitalização Ambiental – Todos Juntos pelo Vale do Ribeira. O objetivo é o plantio de árvores para restauro de floresta nativa com função ecológica local e global; a conservação das florestas existentes e a implementação de sistemas agroflorestais com palmito juçara e outras espécies.

Além dos benefícios que trará à região, o programa tem como objetivo conscientizar clientes e lojas de automóveis parceiras da empresa Aymoré Financiamentos sobre a importância de investir em alternativas diferenciadas para reverter a degradação ambiental.

Toda vez que um cliente de São Paulo, Paraná, Bahia ou Pernambuco faz um financiamento de automóvel com a Aymoré, ele é convidado a fazer uma contribuição de R$ 5,00 para o Programa de Revitalização Ambiental. O lojista, também pode fazer a doação. Se uma das partes contribuír, a Aymoré Financiamentos contribui com mais R$ 5,00, totalizando R$15,00. Todas as doações são direcionadas para o programa.

Capacitação para produzir mudas

Enquanto se realizam plantios em alguma comunidades do Vale do Ribeira, os viveiros de Nhunguara, Cangume e André Lopes já estão recebendo as capacitações para produção de mudas. Em Nhunguara os quilombolas já começaram a produzir cerca de 30 espécies de mudas de nativas. As mudas servirão também para a recuperação do Rio Pedro Cubas e outras áreas ligadas à Campanha Cílios do Ribeira. Além de se tornarem um potencial de geração de renda para as comunidades com a venda para projetos de recuperação de áreas e reflorestamentos com nativas.

O programa que está em andamento fortalece ainda a Campanha Cílios do Ribeira, iniciativa coordenada pelo ISA e pelo Instituto Ambiental Vidágua para a recuperação das matas ciliares do Vale do Ribeira. (Acesse aqui o site da campanha).

O mutirão de plantio encerrou-se com almoço preparado pelas mulheres da comunidade Pedro Cubas, cujo cardápio se compôs de uma deliciosa feijoada.