Archive for the ‘Eventos’ Category

Poder público e aquecimento global

O decisivo apoio à redução das emissões passa pelo entendimento sobre as suas consequências e pela adoção de medidas que tragam resultados

Uma portaria da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente da capital paulista, definiu a obrigatoriedade de se compensar a emissão de gases de efeito estufa (GEEs) de todos os eventos realizados em parques municipais da cidade, desde 2007. Essa portaria define o plantio de árvores como a forma correta de se cumprir a determinação legal.

A Iniciativa Verde é uma das organizações que tem participado desse processo, sendo contratada por diversas empresas para compensar a emissão de seus eventos.  Graças à portaria, a Iniciativa Verde compensou mais de 100 eventos e plantou cerca de 40 mil árvores correspondentes a 24 hectares ou o equivalente a dois Parque da Aclimação recompostos em áreas de preservação.

Além da aprovação da Secretaria do Verde, ao contratar a Iniciativa Verde, as empresas organizadoras desses eventos receberam também o selo Carbon Free atestando a compensação dos impactos gerados pela emissão de gases de efeito estufa. Todas as árvores plantadas pela Iniciativa Verde são nativas da Mata Atlântica e contribuem para recuperar áreas degradadas e ajudam a proteger mananciais e fontes de água. Entre os eventos mais conhecidos do público compensados pela organização estão o São Paulo Fashion Week e o Festival de Cultura Japonesa.

Para Lucas Pereira, diretor da organização e responsável pelo Carbon Free, a portaria é muito positiva: “Ela contribui para a mitigação do carbono equivalente emitido, mas também serve de ação educativa e de conscientização podendo, tranquilamente, ser adotada por outras cidades e mesmo por áreas privadas de eventos”.

Maior responsabilidade do setor privado

Entre os principais argumentos utilizados para a adoção da portaria está a necessidade de reduzir os impactos ambientais. No caso dos parques, em exposições artísticas, culturais e atividades esportivas e de lazer, esses impactos são causados, principalmente, pelo deslocamento de pessoas para participar desses encontros, além pelos consumos de água e energia e geração de resíduos. Pelo programa Carbon Free, todas essas ações são contabilizadas e transformadas em carbono equivalente – maneira usada para calcular a quantidade de árvore a ser plantada.

O fato de um crescente movimento de empresas buscarem compensar voluntariamente suas emissões também é destacado na portaria como uma tendência global.Portanto, a Prefeitura não está “inventando a roda” ou trazendo dificuldades para os organizadores dos eventos, mas, sim, cumprindo seu papel de legislar a favor da sociedade.

O sucesso da medida merece ser preservado

A Iniciativa Verde também considera fundamental manter intacto o princípio básico da portaria que destaca: “A empresa, associação ou indivíduo responsável pelo evento deverá apresentar, no ato da assinatura do termo de responsabilidade, a estimativa técnica das emissões de GEE que serão geradas pela atividade e a compensação dessas emissões EM PLANTIO DE ÁRVORES”. Para o presidente da organização, Roberto Resende, a possibilidade de se utilizar de outras formas de compensação sem o plantio de árvores, pode ser mais barato para os organizadores, mas mesmo que também tenha o seu valor, acaba por enfraquecer os objetivos propostos pela portaria. Segundo ele, “o plantio de árvores é uma alternativa de compensação superior a outras, como os créditos de Carbono, pois reúne vários benefícios. Além do efeito global também contribui localmente, ao melhorar a paisagem, proteger os recursos hídricos e a biodiversidade. Este tipo de projeto também gera emprego e renda mais perto das atividades que provocaram as compensações. É muito melhor quando um projeto pode, além de contribuir para mitigar as mudanças climáticas, proteger os mananciais da cidade”.

Dessa forma, a Iniciativa Verde tem discutido com outras ONGs e agentes públicos a manutenção a norma e, mais, a sua ampliação em formato legal e em efeitos. A proposta é apresentar um Projeto de Lei para tornar obrigatória a realização de inventários e de compensações para todos os eventos de grande porte realizados na cidade de São Paulo por meio do plantio de árvores.

Além do caráter educativo, a nova lei pode ampliar, sem onerar significativamente o setor, a possibilidade de financiamentos de projetos de recuperação florestal de interesse da população paulistana.

 

Anúncios

Aniversário de oito anos!

aniversario

Parabéns para todos que participaram desta história! Vamos comemorar!

Atividade no Sesc Interlagos festeja início da temporada de plantios da Iniciativa Verde

Iniciativa Verde (197)Sexta-feira, céu azul, tempo agradável, até um pouco frio, e um cenário de causar inveja nas belas paisagens existentes no Sesc Interlagos. Clima ideal e diversão garantida

A ação Plantio Simbólico reuniu mais de 150 pessoas entre jovens aprendizes do Senac, São Paulo, e parceiros e convidados da Iniciativa Verde. Divididos em dois horários (às 10 da manhã e às 2 da tarde) na sexta-feira dia 25 de setembro, os participantes tiveram o privilégio de plantar algumas das 200 mudas disponíveis de 15 espécies típicas da Mata Atlântica, entre elas, embaúbas, palmeiras-juçara e cedros. Eles ainda contaram com explicações e orientações sobre a importância das árvores e o seu correto manejo para o plantio. Veja todas as fotos aqui!

À frente dos trabalhos durante todo o dia estiveram o diretor florestal da Iniciativa Verde, Pedro Barral, além da equipe técnica da organização e o coordenador do projeto Adote uma Árvore, do Sesc Interlagos, Gustavo Herdeiro de Faria. Ambos lembraram os muitos benefícios que uma área arborizada trás para todos, desde tornar o clima mais ameno, contribuir para reduzir enchentes, além de fornecer frutos e sombra tornando a vida mais agradável e prazerosa.

Iniciativa Verde (270)As pessoas ouviram atentas aos coordenadores da atividade e logo em seguida partiram ávidas para as suas mudas. Foram momentos inesquecíveis de puro contato com a natureza, muitos sorrisos, alegria e a sensação de estar fazendo algo muito positivo. O jovem Mateus Pereira de Souza, que cursa Gestão de Negócios no Senac, afirmou que quer repetir a experiência, “quero fazer isso de novo”.  Já as jovens Ingrid Talita e Rafaela dos Reis, também do Senac, chegaram a pensar que era mais fácil plantar uma árvore, “só fazer um buraco e colocar”! Elas aprenderam que existem etapas que precedem e sucedem o plantio para garantir que uma árvore cresça sadia e frondosa. Assim, entenderam como é importante cuidar da natureza, ainda mais agora em tempos atuais com tantos casos de destruição ambiental.

“É mais fácil conservar uma floresta do que começar uma nova”, explicou Pedro Barral ao final da atividade sendo plenamente compreendido por todos que fizeram um belo exercício durante toda a ação de plantio.

Faria, do Sesc Interlagos,  ressaltou a importância da parceria com a Iniciativa Verde e convidou a todos a participarem das atividades de educação ambiental do projeto Adote uma Árvore que tem, entre seus principais objetivos, aumentar os espaços verdes urbanos na cidade de São Paulo.

Passos muito positivos já foram dados, agora é só manter o ritmo e contribuir para deixar esse nosso mundo mais verde e agradável de se viver.

Visite o estande da Iniciativa Verde no XI Fórum e Salão Nacional da Indústria de Aluguel de Automóveis

Mudas são plantadas no Paraná com patrocínio da ABLA

Mudas são plantadas no Paraná com patrocínio da ABLA

Nos dias 18 e 19 de setembro, a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA) realizará o XI Fórum e Salão Nacional da Indústria de Aluguel de Automóveis, no Transamerica Expo Center, em São Paulo (SP). A Iniciativa Verde estará presente no evento com um estande de 25 m² para divulgação de seus projetos e sensibilizar as empresas do setor para a importância de compensar suas emissões de gases de efeito estufa (GEE).

Setor em crescimento

Em 2012, o segmento de locação de automóveis teve um faturamento de mais de R$ 6 bilhões e cresceu cerca de 10 % em relação a 2011. O setor também é responsável pela compra de aproximadamente 8% dos veículos da indústria automobilística brasileira com mais de 20,2 milhões de clientes por ano.

ABLA e Iniciativa Verde

As duas organizações já possuem uma parceria de sucesso iniciada em 2009. Desde a data, cerca de 14 projetos foram responsáveis pelo plantio de 800 árvores. A ABLA tem buscado compensar suas emissões de diversas atividades como das publicações da “Revista Locação” e do “Anuário ABLA”, além deste próprio evento.

Procure o estande da Iniciativa Verde no Fórum, conheça mais sobre os projetos da organização e compense suas emissões. Ele contará com uma exposição de fotos sobre a recomposição da Mata Atlântica e com apresentações multimídias sobre o trabalho socioambiental da ONG. Venha nos conhecer pessoalmente!

O planeta agradece!

Informações para a imprensa: Reinaldo Canto, assessor de imprensa, imprensa@iniciativaverde.org.br  .

Plante árvores nativas com a ONG Iniciativa Verde e com o Sesc Interlagos

Frequentadores do Sesc Interlagos terão a oportunidade de plantar mudas de Mata Atlântica e entender a importância da ação

No dia 27 de setembro (sexta-feira), a ONG Iniciativa Verde e o Sesc Interlagos convidam a todos para plantar 200 mudas nativas de Mata Atlântica no Sesc Interlagos. A ação, chamada Plantio Simbólico, ajudará a aumentar uma área de mata preservada no local. Na ocasião, todos terão a chance de conhecer de perto a floresta, entender na prática o porquê de ser importante preservar o meio ambiente, de literalmente colocar a mão na terra, descobrir como são feitos os reflorestamentos e, claro, plantar uma árvore! Depois disso, basta escrever um livro e ter um filho!

iniciativa_verde_villa_lobos-279Leve a família toda, a atividade é aberta para as pessoas de qualquer idade. Não precisa ser sócio do Sesc para participar, o evento é livre. Os interessados devem, na chegada para o evento, avisar na portaria que irão para o Plantio Simbólico – o ponto de encontro é o Viveiro. Além do plantio na prática, será realizada uma breve explicação sobre o trabalho de reflorestamento e de compensação de carbono feito pela Iniciativa Verde e sobre as ações ambientais realizadas pelo Sesc Interlagos.

Participe! Venha se divertir aprendendo a plantar as mudas corretamente! Com o passar dos anos, pode ir visitar as árvores, ver o seu desenvolvimento e comentar com os amigos: “Essa, fui eu quem plantou”. Ajude a cuidar do meio ambiente! Todo o evento é gratuito.

Por que plantar árvores é importante?

O principal objetivo da ação é chamar a atenção das pessoas para a importância da recomposição florestal. Na cidade, as árvores embelezam a paisagem, melhoram a qualidade do ar, fornecem sombra, ajudam a reduzir a sensação de calor e atuam no combate às enchentes.

Além disso, as árvores absorvem o gás carbônico presente em nossa atmosfera. Dessa maneira, elas contribuem para reduzir os efeitos do aquecimento global. No meio rural, as florestas como a Mata Atlântica são fundamentais para a manutenção da biodiversidade e da qualidade dos recursos hídricos.

O que a Iniciativa Verde faz?

Ela é uma organização não governamental (ONG) que tem como missão o combate às mudanças climáticas impulsionadas pelas ações humanas. Para tal, a Iniciativa Verde realiza compensação das emissões de gases de efeito estufa restaurando a Mata Atlântica e faz inventários de carbono de empresas ou de outras instituições interessadas. Além disso, a ONG trabalha com projetos de educação ambiental e desenvolve pesquisas relacionadas às mudanças climáticas e à Mata Atlântica.

Plantio Simbólico

Data: 27 de setembro de 2013

Horários: 10h e 14h

Local: Sesc Interlagos (o Viveiro é o ponto de encontro)

Endereço: Av. Manuel Alves Soares, 1100, Parque Colonial, São Paulo (SP)

 

O Sesc Interlagos tem estacionamento ao custo de R$ 7,00.

Saiba mais sobre as ações da Iniciativa Verde no site: http://www.iniciativaverde.org.br

 

Informações para a imprensa

Reinaldo Canto: reicanto @ uol.com.br ou imprensa @ iniciativaverde.org.br

Mais de 445 mil árvores foram plantadas graças ao Programa Carbon Free

infocarbonfreeJá pensou em como empresas, eventos ou pessoas compensam as suas emissões de gases de efeito estufa (GEE)? Por meio do Programa Carbon Free, desenvolvido pela ONG Iniciativa Verde. Em oito anos de existência, mais de 445 mil árvores foram plantadas e 70 mil toneladas de carbono equivalente foram “neutralizadas” graças ao programa.

Toda atividade humana emite direta ou indiretamente uma quantidade de gases que podem agravar o aquecimento global. Um evento, por exemplo, pode gerar GEE quando os seus participantes se deslocam para chegar ao lugar em questão, principalmente, ao utilizar o avião como meio de transporte. Já a construção de uma nova sede requer materiais que usam energia para serem fabricados.

No Programa Carbon Free, as emissões de GEE são compensadas por meio da recomposição da Mata Atlântica. Ou seja, a Iniciativa Verde faz o plantio de árvores nativas de um dos biomas mais ricos em biodiversidade do mundo em áreas de preservação permanente – atestando que elas serão protegidas – para compensar as emissões daquele que adere ao programa. Aproximadamente, cada árvore nativa absorve 190 quilos de carbono ao longo de seu crescimento.

Além de resguardar o meio ambiente, o Programa apresenta mais vantagens: a evolução de todos os plantios pode ser acompanhada online, a atividade atestada recebe o certificado de participação e o reconhecido selo Carbon Free.

Saiba mais no site da Iniciativa Verde.

Evento contribui para capacitar agricultores a trabalharem pela sustentabilidade

Jardim filtrante, que filtra a água cinza (chuveiro e pias), do Centro Max Feffer – Cultura e Sustentabilidade (CMFCS)

Jardim filtrante, que filtra a água cinza (chuveiro e pias), do Centro Max Feffer – Cultura e Sustentabilidade (CMFCS)

Na quarta-feira (3), as ONGs Iniciativa Verde e Instituto Jatobás em conjunto com o Escritório de Desenvolvimento Regional da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI/ Botucatu), Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental (APA) do perímetro de Botucatu, Fundação Florestal, Consórcio de Estudos, Recuperação e Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Rio Pardo (CEDEPAR), Prefeitura Municipal de Pardinho, Laticínios Gege, Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Dextru da CATI/ Campinas promoveram a capacitação “Vivência Em Adequação Ambiental: Educação para a Sustentabilidade (EpS) em Unidade de Produção Agropecuária (UPA)”, no município de Pardinho (Centro Max Feffer – Cultura e Sustentabilidade (CMFCS) e Chácara Gaivota – proprietária Raquel Sousa Oliveira). Veja todas as fotos do evento.

Contando com a participação de mais de 100 pessoas entre especialistas, produtores rurais e convidados, o evento teve o objetivo de capacitar agricultores e técnicos da região por meio da demonstração de métodos para a implantação de Sistema Agroflorestal (SAF) em Área de Preservação Permanente (APP) e tratamento de efluentes domésticos na adequação ambiental de propriedades rurais, de acordo com as novas legislações ambientais. O objetivo era apresentar ferramentas que aliem o desenvolvimento econômico e a preservação ambiental, em especial, em territórios de unidades de conservação de uso sustentável como no caso da Área de Proteção Ambiental (APA) de Botucatu.

Durante toda a manhã no Centro Max Feffer foram apresentadas experiências bem sucedidas em localidades diversas e técnicas de manejo sustentável possíveis de serem implementadas em quaisquer propriedades rurais.

Entre os palestrantes, o presidente da Iniciativa Verde, Roberto Resende, expôs o trabalho desenvolvido pela ONG Iniciativa Verde em projetos de reflorestamento nos estados de São Paulo e do Paraná. Resende lembrou que ali mesmo, na região de Botucatu e de Pardinho, há uma importante frente de ação da organização:o projeto Iniciativa BNDES Mata Atlântica que conta com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. A parceria entre a Iniciativa Verde e o BNDES busca fazer o restauro florestal voluntário de propriedades rurais em áreas de mananciais.

O programa do evento também contou com um trabalho de campo no período da tarde durante visita à Chácara Gaivota. Ali foram apresentadas soluções viáveis para tornar as propriedades mais sustentáveis e adequadas tanto na execução como nos baixos custos financeiros aos agricultores, técnicos e convidados. , Por exemplo, foram apresentadas a adoção de fossas sépticas, tratamento de efluentes e jardins filtrantes para a preservação dos recursos hídricos eprojetos de sistemas agroflorestaiscomo a diversificação de produção e o cultivo flores e frutíferas.

Para Daniela Sartori da Rocha, do Instituto Jatobás e uma das principais organizadoras do evento, “a adequação ambiental de uma propriedade rural, principalmente a pequena propriedade, é um assunto que tem despertado grande interesse por parte do produtor rural”.  Mas ela alerta que “apesar dessa conscientização, ainda é comum encontrarmos no setor rural propriedades muito distantes do preconizado nas legislações ambientais, seja por falta de recursos do produtor para investir na recuperação, pela falta de informação quanto à necessidade em adequar ambientalmente suas áreas ou pela falta de conhecimento sobre a viabilidade e importância na adoção de determinadas técnicas”.

Para os integrantes da Iniciativa Verde, participantes do encontro, os objetivos do evento foram plenamente alcançados. O presidente da organização, Roberto Resende, destacou a importância do reforço da parceria existente com o Instituto Jatobás e com o CEDEPAR, além de importantes contatos com os potenciais novos parceiros como as prefeituras de Botucatu, Pratânia, Pardinho e de outras cidades da região. Para Luiza Lima, do departamento florestal da Iniciativa Verde, as “estações” que serviram para demonstrar na prática o funcionamento de cada solução para tornar a propriedade mais sustentável tiveram bastante êxito e foram capazes de alertar para a importância de sua implementação em propriedades rurais. Já o diretor florestal, Pedro Barral, afirmou que é de grande relevância mostrar que uma árvore, seja ela integrante de uma floresta ou de um sistema agroflorestal, cumpre uma função de benfeitoria. Barral ainda complementou: “Ver produtores rurais buscando essas tecnologias como uma fonte de diversificação de produção e de renda é realmente fantástico!”.

Como copatrocinadora do evento, a Iniciativa Verde acredita ter cumprido parte importante de sua missão, ou seja,realizar ações educativas e de esclarecimentos sobre as vantagens de unir medidas sustentáveis de preservação e de redução de impactos ambientais causados no meio rural à produção agrícola.