Evento contribui para capacitar agricultores a trabalharem pela sustentabilidade

Jardim filtrante, que filtra a água cinza (chuveiro e pias), do Centro Max Feffer – Cultura e Sustentabilidade (CMFCS)

Jardim filtrante, que filtra a água cinza (chuveiro e pias), do Centro Max Feffer – Cultura e Sustentabilidade (CMFCS)

Na quarta-feira (3), as ONGs Iniciativa Verde e Instituto Jatobás em conjunto com o Escritório de Desenvolvimento Regional da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI/ Botucatu), Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental (APA) do perímetro de Botucatu, Fundação Florestal, Consórcio de Estudos, Recuperação e Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Rio Pardo (CEDEPAR), Prefeitura Municipal de Pardinho, Laticínios Gege, Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Dextru da CATI/ Campinas promoveram a capacitação “Vivência Em Adequação Ambiental: Educação para a Sustentabilidade (EpS) em Unidade de Produção Agropecuária (UPA)”, no município de Pardinho (Centro Max Feffer – Cultura e Sustentabilidade (CMFCS) e Chácara Gaivota – proprietária Raquel Sousa Oliveira). Veja todas as fotos do evento.

Contando com a participação de mais de 100 pessoas entre especialistas, produtores rurais e convidados, o evento teve o objetivo de capacitar agricultores e técnicos da região por meio da demonstração de métodos para a implantação de Sistema Agroflorestal (SAF) em Área de Preservação Permanente (APP) e tratamento de efluentes domésticos na adequação ambiental de propriedades rurais, de acordo com as novas legislações ambientais. O objetivo era apresentar ferramentas que aliem o desenvolvimento econômico e a preservação ambiental, em especial, em territórios de unidades de conservação de uso sustentável como no caso da Área de Proteção Ambiental (APA) de Botucatu.

Durante toda a manhã no Centro Max Feffer foram apresentadas experiências bem sucedidas em localidades diversas e técnicas de manejo sustentável possíveis de serem implementadas em quaisquer propriedades rurais.

Entre os palestrantes, o presidente da Iniciativa Verde, Roberto Resende, expôs o trabalho desenvolvido pela ONG Iniciativa Verde em projetos de reflorestamento nos estados de São Paulo e do Paraná. Resende lembrou que ali mesmo, na região de Botucatu e de Pardinho, há uma importante frente de ação da organização:o projeto Iniciativa BNDES Mata Atlântica que conta com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. A parceria entre a Iniciativa Verde e o BNDES busca fazer o restauro florestal voluntário de propriedades rurais em áreas de mananciais.

O programa do evento também contou com um trabalho de campo no período da tarde durante visita à Chácara Gaivota. Ali foram apresentadas soluções viáveis para tornar as propriedades mais sustentáveis e adequadas tanto na execução como nos baixos custos financeiros aos agricultores, técnicos e convidados. , Por exemplo, foram apresentadas a adoção de fossas sépticas, tratamento de efluentes e jardins filtrantes para a preservação dos recursos hídricos eprojetos de sistemas agroflorestaiscomo a diversificação de produção e o cultivo flores e frutíferas.

Para Daniela Sartori da Rocha, do Instituto Jatobás e uma das principais organizadoras do evento, “a adequação ambiental de uma propriedade rural, principalmente a pequena propriedade, é um assunto que tem despertado grande interesse por parte do produtor rural”.  Mas ela alerta que “apesar dessa conscientização, ainda é comum encontrarmos no setor rural propriedades muito distantes do preconizado nas legislações ambientais, seja por falta de recursos do produtor para investir na recuperação, pela falta de informação quanto à necessidade em adequar ambientalmente suas áreas ou pela falta de conhecimento sobre a viabilidade e importância na adoção de determinadas técnicas”.

Para os integrantes da Iniciativa Verde, participantes do encontro, os objetivos do evento foram plenamente alcançados. O presidente da organização, Roberto Resende, destacou a importância do reforço da parceria existente com o Instituto Jatobás e com o CEDEPAR, além de importantes contatos com os potenciais novos parceiros como as prefeituras de Botucatu, Pratânia, Pardinho e de outras cidades da região. Para Luiza Lima, do departamento florestal da Iniciativa Verde, as “estações” que serviram para demonstrar na prática o funcionamento de cada solução para tornar a propriedade mais sustentável tiveram bastante êxito e foram capazes de alertar para a importância de sua implementação em propriedades rurais. Já o diretor florestal, Pedro Barral, afirmou que é de grande relevância mostrar que uma árvore, seja ela integrante de uma floresta ou de um sistema agroflorestal, cumpre uma função de benfeitoria. Barral ainda complementou: “Ver produtores rurais buscando essas tecnologias como uma fonte de diversificação de produção e de renda é realmente fantástico!”.

Como copatrocinadora do evento, a Iniciativa Verde acredita ter cumprido parte importante de sua missão, ou seja,realizar ações educativas e de esclarecimentos sobre as vantagens de unir medidas sustentáveis de preservação e de redução de impactos ambientais causados no meio rural à produção agrícola.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: